Airbnb destrói capitais culturais?

Compartilhe

Os alojamentos típicos do Airbnb já 'andam' por Lisboa há muito, mas a verdade é que a capital portuguesa - à semelhança de outras cidades - tem vindo a adaptar-se a esta realidade. O Financial Times aponta Lisboa como um dos exemplos onde este tipo de alojamentos veio obrigar a uma mudança. O jornal britânico fala de Bruno Romão, que é dono de um dos últimos cafés tradicionais de Alfama, porque tudo o que existe agora são restaurantes para responder ao crescimento dos turistas no local. Bruno Romão sentiu necessidade de arranjar umas mesas para servir refeições no seu café, ou seja, teve de se adaptar. O proprietário morava nas redondezas do seu estabelecimento, mas como outros lisboetas, teve de sair. O preço das rendas tem sido um dos motivos, se não o principal, que leva os moradores a 'fugirem' para as zonas periféricas, onde os preços também são mais em conta. "Para ele [Romão] e outros cidadãos, os preços das rendas ultrapassaram os rendimentos", escreve o Financial Times. Este tipo de alojamento para arrendamento de curto prazo tem vindo a ser apontado como o responsável do aumento dos preços. Porém, plataformas como o Airbnb ou a HomeAway trouxeram "investimentos significativos" para os países que, como Portugal, vêem as suas economias recuperar. Fonte: notícias ao minuto

Compartilhe

Comentários

Marcos Inácio Advocacia © 2020 | Política de Privacidade


Marcos Inácio Advocacia © 2020 | Política de Privacidade